.

.

quinta-feira, 12 de abril de 2018

Factoring: Assembleia discute pauta de reivindicações

O SEAAC de Americana e Região está convidando os empregados em factoring e securitizadoras de crédito a participarem da assembleia para discutir e votar a pauta de reivindicações para renovação da Convenção Coletiva. A assembleia acontece nesta segunda-feira, dia 16, às 17 horas em primeira e 17h30 em segunda convocação, na sede da entidade (Rua Bolivia, 186, Vila Cechino, Americana). A categoria tem data-base em 1º de julho. 

As principais cláusulas econômicas constantes da pauta que será apresentada traz reivindicação de piso de R$ 1.305,00 para empregados em geral e R$ 1.190,00 para serviços de limpeza e office-boy; reajuste de 6% com o acréscimo de 1% a título de aumento real e valorização da categoria; vale refeição de R$ 25,00 por dia trabalhado; auxílio-creche de 10% do maior piso por filho até 6 anos de idade e PLR de R$ 535,00, acrescido de 16% do salário nominal do empregado até o limite máximo de R$ 800,00 para as empresas que não implantarem o programa de Participação nos Lucros e Resultados. 

A presidenta do SEAAC, Helena Ribeiro da Silva, avalia como fundamental para uma campanha salarial vitoriosa, a participação dos trabalhadores. “E esta participação tem que começar na assembleia de aprovação da pauta, onde o trabalhador poderá trazer sugestões e discutir as cláusulas que estamos levando para a negociação”. Luciano Domiciano (Assessoria de Imprensa 12 de abril de 2018)

Aprovada pauta de Comissários de Despachos

Em assembleia dia 11/abril o SEAAC de Americana e Região apresentou, discutiu e teve aprovada a pauta de reivindicações para renovação da Convenção Coletiva dos empregados da categoria Comissários de Despachos. Nesta categoria também estão inclusos trabalhadores de agentes de carga aérea, operadores de transporte multimodal, transitários, consolidador de carga marítima, logística de prestação de serviços de comércio exterior e despachantes aduaneiros. 

 A presidenta do SEAAC, Helena Ribeiro da Silva, informou que a data-base desta categoria é 1º de julho e que este ano serão renovadas somente as cláusulas econômicas, já que na negociação do ano passado as cláusulas sociais foram determinadas para dois anos. A pauta aprovada traz piso salarial de R$ 1.142,00 para office-boy, faxineiros e copeiras e R$ 1.434,00 para as demais funções; reajuste de 6% e mais 1% a título de aumento real; vale-refeição de R$ 28,00 por dia trabalhado; vale-alimentação com valor de R$ 271,48; auxílio-creche de R$ 170,00 por filho até 6 anos e 11 meses e PLR de R$ 535,00, acrescidos de 16% do salário nominal até o limite de R$ 800,00, para empresas que não implantarem o programa de Participação nos Lucros e Resultados.  

Helena falou das dificuldades que espera encontrar nas negociações este ano, “já que os setores patronais estão buscando enxugar e reduzir custos. As empresas tem um sócio perverso que é o Governo, que cobra altos impostos. Com ele não tem como negociar. Então tentam tirar a diferença das costas do trabalhador. Temos de estar firmes e lutar para manter direitos e conquistas históricas”, finalizou. Luciano Domiciano (assessoria de imprensa, 12 de abril de 2018)

Saiba mais sobre as vacinas contra a gripe disponíveis no Brasil

Fonte: Agência Brasil
A influenza, comumente conhecida como gripe, figura entre as viroses mais frequentes no mundo. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que cerca de 10% da população seja infectada anualmente por algum tipo de vírus influenza e que 1,2 bilhão de pessoas apresentem risco elevado para complicações relacionadas à doença. Entre elas, 385 milhões de idosos acima de 65 anos, 140 milhões de crianças e 700 milhões de pessoas com doenças crônicas.

Causada por mais de um tipo de vírus, classificados como A e B, a influenza tem diversos subtipos. Os subtipos A que mais frequentemente infectam humanos são H1N1 e H3N2, ambos com casos já notificados este ano no Brasil. Os subtipos B, por sua vez, são classificados como de linhagem Victoria e Yamagata. As informações são da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) que publicou uma série de perguntas e respostas sobre os diferentes tipos vacina utilizadas no país.

Confira abaixo os principais trechos da nota técnica divulgada pela entidade:

Como funcionam as vacinas contra a influenza usadas no Brasil? 

Lista de preços ajuda consumidor no reajuste de preços

Fonte: A Tribuna
Desde o início de março, os medicamentos estão até 2,84% mais caros. O reajuste anual de medicamentos atinge diretamente os consumidores, principalmente aqueles que fazem uso de fármacos de uso contínuo. Para evitar gastos extras, o farmacêutico pode orientar o paciente com algumas dicas.

Uma delas é conversar com o médico durante a consulta, para saber se existe uma alternativa de medicamento mais em conta. Dependendo do tipo de item, o próprio farmacêutico pode orientá-lo com o uso de um genérico, por exemplo.

Além disso, para ajudar os consumidores, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determina que as farmácias tenham uma lista com o preço médio de cada medicamentos para consulta.

“Nem todos sabem da existência deste recurso, que pode facilitar a vida do consumidor e dar um referencial de preço”, afirma o coordenador do Procon-Santos, Rafael Quaresma. Porém, segundo ele, o preço é somente uma referência, uma vez que não há tabelamento dos medicamentos.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...